Como Virar Vegan? 6 Passos Fáceis

“Eu queria muito virar vegan, mas não vivo sem queijo.”
“Não tenho como virar vegan porque gosto muito de chocolate.”
“Adoraria ser vegan, mas gosto muito do sabor da carne.”

Vira e mexe recebo mensagens assim. Das duas, uma: ou tu não quer realmente virar vegan, ou até quer, mas fica confusa, sem saber por onde começar.

A minha desculpa era que jamais viveria sem queijo. Hoje, sinto até uma repulsa de laticínios, e as opções veganas são TANTAS, que não sinto nenhuma falta.

Mas, fora isso, confesso que me parecia uma mudança muito grande, então nem sequer sabia como começar.

Por isso reuni aqui 6 passos simples, que, colocados em prática, vão te ajudar a virar vegan:

1. Segunda sem carne (e terça, e quarta, e quinta…)

Essa todo mundo já sabe, e só falta vergonha na cara pra pôr em pratica.

O segredo é ir gradualmente aumentando: essa semana fez 2a sem carne? Que tal na próxima semana fazer 2a e 4a?

Assim tu vai te adaptando aos poucos, sem sentir que está “perdendo” nada, mas explorando novas possibilidades de sabores e fontes dos nutrientes que tu costumava adquirir pela carne; com o plus de não envolver exploração de outros seres, e de ser melhor pra tua saúde.

2. Trocar leite animal por vegetal

Além de envolver exploração e sofrimento animal, o leite de vaca (e seus derivados) não foi “feito” para o consumo humano. A vaca produz leite para alimentar seu bezerro, assim como a mulher humana geralmente não produz leite, somente quando precisa alimentar seu(s) bebê(s).

Por isso, nosso organismo identifica várias moléculas estranhas no leite de vaca, e consequentemente gera anticorpos para nos proteger, o que causa inflamações, prejudicando todo funcionamento do nosso organismo – nossa imunidade, nossos hormônios, etc.

Sendo vegana, minhas crises de rinite se tornaram muito mais amenas e raras, bem como as crises de tendinite que me acompanharam durante todo o mestrado; e já tive relatos semelhantes de outras pessoas conhecidas que adotaram a alimentação vegana, e sofriam de diferentes questões de saúde relacionadas à inflamação.

3. Escolher pães sem leite ou ovos

Esse ponto me impressionou muito positivamente quando virei vegana: muitos pães, mesmo industrializados, não apresentam ingredientes de origem animal na sua composição. Então, esse é um item bem fácil de adaptar, basta ler os ingredientes na embalagem, e com o tempo se torna natural optar por eles.

4. Começar aos poucos

Ninguém precisa ir de onívoro a vegan da noite pro dia. Tudo bem tu ter um tempo de adaptação, e não precisa cortar tudo ao mesmo tempo.

Pela minha experiência, o que funcionou foi ir adaptando, adaptando, até que uma hora a transição foi natural, e acho que, até por isso, não tive grandes “recaídas” e não sinto falta de alimentos de origem animal. Além de ter descoberto que existe uma versão vegana igualmente boa (na verdade, melhor, por não envolver mortes e sofrimento) de TUDO.

5. Repensar as tuas relações interpessoais

As pessoas com quem tu convive estão te julgando por querer rever teus hábitos?

Então, em primeiro lugar, isso é problema das pessoas, não teu. Se tu tem convicção do que está fazendo, esses julgamentos não tem por que te afetarem.

Em segundo lugar, que pessoas são essas com quem tu convive, que não querem conviver contigo, mas com a ideia que têm de ti.

Se for família é mais complicado, mas tu ainda tem a opção de não se importar.

Mas se forem “amigos”, digo por experiência: cola em quem te apoia; que te avisa quando tu tá fazendo alguma cagada, mas te apoia naquilo que diz respeito única e exclusivamente à tua vida e/ou às tuas escolhas (se tu tem tatuagem, come ou não come carne, quer furar a cara inteira de piercing, quer fazer um moicano verde, quer vestir somente peças de roupa roxas; a pessoa não precisa achar bonito, mas precisa SIM te respeitar.

6. Focar no propósito

Se tu tem mesmo o propósito de excluir, dentro do possível e praticável, de todos produtos (alimentares, de vestuário, cosméticos, etc.) envolvidos na exploração animal, lembra disso toda vez que aquela pessoa chata vier te dar palestrinha sobre o que tu faz ou deixa de fazer. Se tu tiver convicção do teu objetivo, nada disso pode te abalar.

Foca no teu objetivo, que tu chega lá! Se eu fui de “não vivo sem queijo” a vegana feliz, tu também consegue!

Qual desses vai ser teu próximo passo?


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s