Como Virei Vegana

Eu não nasci vegana. Cresci em uma família onívora; comendo carne, leite, ovos e derivados na maioria das refeições. Hoje sou a única que não come carne, quem dirá ovos e leite.

Tudo começou em 2011. Com 19 anos, assisti o documentário “Paredes de Vidro”, onde Paul McCartney (um dos meus artistas preferidos), diz que “se matadouros tivessem paredes de vidro, todos seriam vegetarianos”. Esse filme mostra a realidade dos matadouros, e a forma como os animais são mantidos e maltratados.

Terminei de assistir o documentário chorando muito, senti muita culpa por indiretamente financiar aquela crueldade, e, ao mesmo tempo, tristeza, por ter vivido tanto tempo sem saber daquilo tudo. Naquele momento, decidi que precisava me tornar vegetariana.

Porém, levei quase 4 anos pra me adaptar completamente. Me faltava informação, então tentei apenas cortar a carne da alimentação (exceto peixe, eventualmente), sem substituir os nutrientes que costumava obter pela carne.

Nesse período, tive princípio de anemia 3x, porque tive o azar de consultar com profissionais da saúde preconceituosos, que me recomendaram “fazer uma forcinha” e voltar a comer carne. Mas, toda vez que tentava voltar a comer, continuava sentindo culpa e parava de comer outra vez.

Então, em 2015 decidi buscar uma nutri especializada em vegetarianismo, que me ensinou como era fácil obter os nutrientes em alimentos de origem vegetal. A partir dali, me tornei ovolactovegetariana (nem sabia o que eram veganos), e nunca mais voltei a comer carne.

Em 2018, conheci algumas pessoas veganas. Vi que eram pessoas normais e saudáveis; não eram áliens, nem tinham vendido a alma pro quiabo, como eu imaginava.

Comecei a entender os motivos que levam alguém ao veganismo, e aos poucos fui reduzindo meu consumo de ovos e lácteos, embora ainda pensando e dizendo que “veganismo era muito difícil” e “nunca conseguiria viver sem queijo”.

Em 2019, eu já não comprava nada feito de couro ou camurça há anos, e foi bem fácil não comprar mais itens de higiene e cosméticos testados ou com ingredientes de origem animal. O último passo foi a alimentação, que, depois de ler mais sobre o assunto, aconteceu naturalmente 🍀


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s